Ensaio sobre ela

Eu era uma criança que escrevia diários. Eu era uma criança que tinha mil sonhos por dia.Eu vivia com a cabeça em um mundo a parte que era totalmente mágico, não precisava de brinquedos ou outras crianças pra me divertir. Era uma época que a gente vivia pra dentro. Ser comum e ter estabilidade podia ser considerado luxo.

Anos mais tarde, quando comecei a abandonar meu mundo particular e enxergar o mundo real, veio a descoberta de um mundo totalmente dividido em milhares de nichos em que, se você bobear, você é atropelado e nem consegue ver o que foi que passou por cima.

Quando a gente cresce e finalmente consegue sair da adolescência onde todos são patinhos feios com suas lutas internas a gente fica naquela esperança de que tudo vai melhorar num passe da magica.

É ai que vem mais um trem descarrilado passando por cima.

Ninguém nunca está preparado. Acredito que a maioria das pessoas não recebem uma educação para lidar com o mundo fora dos seus sonhos de criança.

O mundo esta muito estranho. Eu não posso falar de anos que não vivi com propriedade, mas realmente acredito que, num geral, a maior parte das pessoas estão conquistando suas coisas e sucateando seu espírito

Eu sempre gostei de observar pessoas. Não me interessa que roupa ela usa ou como esta o cabelo, mas como ela conversa, como ela se meche, como ela age. É incrível como aparência engana, como no intimo, pessoas admitem que o sorriso na cara é só pra agradar o colega e como pessoas extremamente discretas tem um mundo de coisas interessantes pra compartilhar.

Começo esse blog com a cabeça de quem está iniciando mais um capítulo da vida depois de um furacão de historias e experiências, e que espera ter que repensar sobre vários ideologias que ainda não saíram da teoria.

Seja bem vindo ao meu panorama solo!